Com o aumento da competitividade por bons empregos, profissionais buscam cada vez mais se aperfeiçoarem em suas áreas, buscando reconhecimento, uma boa colocação e um salário adequado. A técnica, muitas vezes, pode parecer tão importante quanto os aspectos comportamentais, mas nem sempre é isso que acontece.

A inteligência emocional e as habilidades subjetivas, ligadas ao comportamento dos profissionais, são cada dia mais valorizadas. São as soft skills, competências complexas de serem mensuradas, mas fundamentais para a construção de um ambiente de trabalho agradável e produtivo.

Soft skills como diferenciais aos profissionais

Certamente você já ouviu falar que empresas “contratam por técnica e demitem por comportamento”. Essa frase exemplifica bem a importância das soft skills no contexto corporativo. São as habilidades que não se aprendem nem se treinam em cursos e capacitações, mas são consideradas essenciais para assumir determinados cargos.

A boa capacidade de se relacionar somada a um perfil colaborativo, por exemplo, contribui para que o profissional agregue ao grupo e sirva de inspiração/orientação para outros colegas. A inteligência emocional é outro exemplo de soft skill importante para quem atua em cargos de gestão. Trata-se de uma competência que dificilmente pode ser treinada, cada vez mais valorizada no ambiente corporativo e essencial para um bom líder.

O valor das soft skills para as empresas

Profissionais altamente capacitados e com grande conhecimento técnico foram, por muito tempo, a principal procura das organizações. Mas, nos últimos anos, essa realidade tem mudado consideravelmente. Uma pesquisa realizada pela Capgemini Digital Transformations Institute, em 2017, mostrou que 60% das organizações possuía carência de soft skills em seus colaboradores. Considerando este cenário, muitas empresas acabam optando por contratar profissionais com as competências comportamentais necessárias para ocupar determinado cargo e buscam treinar as competências essencialmente técnicas – também chamadas de hard skills.

Com a mudança de percepção do mercado, o profissional de hoje – que, por anos, focou sua carreira no aprimoramento técnico – tem de aperfeiçoar outras características. Elas são difíceis de mensurar, mas fáceis de serem percebidas no dia a dia das empresas. Profissionais que possuem soft skills conseguem potencializar a técnica e contribuem para a construção de um ambiente de trabalho mais propício à aprendizagem.

As soft skills mais valorizadas pelas empresas

Como já mencionado anteriormente, as organizações buscam características diferenciadas em seus colaboradores. Algumas delas são essenciais para quem ocupa determinados cargos, já outras, são básicas para o trabalho em equipe. Confira a seguir algumas das soft skills mais valorizadas pelas empresas.

Capacidade de trabalhar em equipe

O trabalho em equipe é fundamental para a criação de um bom clima organizacional. Equipes entrosadas tendem a ser mais motivadas e produtivas. Mas nem todo profissional possui esta característica. Por isso, ela desponta como uma das mais valorizadas e procuradas pelas empresas em seus colaboradores. Quem demonstra a capacidade de trabalhar em equipe tende a ser mais colaborativo, flexível e a receber feedbacks de maneira positiva, além de contribuir para a construção de um bom clima organizacional.

Boa comunicação

A comunicação é peça-chave para estabelecer uma interação eficiente, clara e objetiva. Muitos problemas organizacionais surgem justamente pela famosa “falha de comunicação”, que acarreta transtornos mais complexos dentro das empresas. Uma comunicação fluida é essencial para as diferentes esferas, do relacionamento entre equipes à clientes e fornecedores. Essa competência é essencial para cargos de liderança, por exemplo. Líderes precisam ser eficientes ao transmitirem mensagens para a sua equipe, ao mesmo tempo que precisam ter cuidado para lidar com situações delicadas, a partir da comunicação não-violenta.

Empatia

Uma característica essencial em diferentes âmbitos, a empatia surge como uma soft skill muito procurada pelas organizações. A capacidade de se colocar no lugar do outro e compreender como ele se sentiria em determinada situação auxilia líderes a construírem uma gestão mais humanizada e horizontal. No mercado de trabalho, cada dia mais competitivo, a empatia é uma aliada para minimizar problemas organizacionais mais complexos, que podem desmotivar talentos e prejudicar equipes inteiras.

Ética no trabalho

Pode parecer uma premissa básica, mas a ética é uma competência cada vez mais valorizada e procurada pelas empresas. A ética permeia desde o comprometimento do colaborador no que diz respeito à realização de suas tarefas aos valores pessoais que ele carrega, que refletem diretamente em sua postura profissional.

 

Como pudemos perceber, as habilidades comportamentais são essenciais para a construção de um ambiente de trabalho estimulante e contribui, inclusive, para o desenvolvimento técnico. E a sua empresa, busca desenvolver as soft skills dos colaboradores? Compartilhe conosco nos comentários!

Bruno Rodrigues

Author Bruno Rodrigues

CEO e co-fundador da GoGood. Bruno Rodrigues é empreendedor e especialista em inovação pela Universidade de Stanford, co-fundador da GoGood e apaixonado por tecnologia em saúde e por negócios com impacto social. Antes de sua carreira como executivo, foi atleta profissional de karatê e campeão Sulamericano.

More posts by Bruno Rodrigues

Leave a Reply