Estudado por teóricos da área da administração já há alguns anos, o clima organizacional é um assunto que está cada vez mais em alta nas empresas.

Com a transformação digital que está em curso, cenários cada vez mais competitivos, e as novas gerações integrando o mercado de trabalho, o clima interno ganhou grande importância, sendo hoje um fator quase que determinante para o sucesso ou o fracasso de uma organização.

Se antes os funcionários costumava permanecer no seu trabalho por um salário ou estabilidade de carreira, nos dias atuais, além de buscar os benefícios clássicos, as pessoas também estão buscando muito mais conexão com propósito – o seu próprio e o das empresas para qual escolhem trabalhar.

Nesse sentido, o clima organizacional passa a ser decisivo no momento em que os talentos avaliam seu local de trabalho, e também na hora de decidir se vão deixar ou permanecer em uma organização.


A diferença entre clima e cultura organizacional

Segundo Chiavenato, o clima é a atmosfera interna que existe entre as pessoas que convivem na organização, e diz respeito à percepção dos colaboradores sobre a empresa.

Já a cultura organizacional é o conjunto de crenças e valores que são reconhecidos e moldam os comportamentos, ao mesmo tempo que servem como referência para guiar o desempenho e as interações com o ambiente.

Ambos, clima e cultura, exercem influência sobre os colaboradores, fazendo com que eles possam estar mais ou menos motivados e engajados.

Nesse sentido, o clima organizacional refere-se ao ânimo dos colaboradores em um determinado momento e/ou período de tempo, enquanto a cultura é o conjunto de normas e costumes que se estabelece ao longo do tempo com práticas recorrentes.

Por que cultivar um bom clima organizacional?

Se a cultura é o que determina “como as coisas são feitas por aqui”, o clima pode ser considerado uma espécie de termômetro, medido por meio de uma pesquisa.

Clima e cultura estão conectados e formam a percepção das pessoas sobre a organização. Por isso, podemos considerar que um influencia e retroalimenta o outro, e ambos determinam reações tanto positivas quanto negativas.

Uma cultura tóxica, por exemplo, contamina o clima, fazendo com que ele seja negativo. Um clima negativo influencia as pessoas, impactando nas suas ações que, consequentemente, compõem a cultura. E, se esse ciclo não receber atenção, pode nunca ter fim.

Um clima organizacional ruim contribui para baixa produtividade por conta da desmotivação, gerando sentimento de impotência e descrédito nos colaboradores. Além de prejudicar o lado profissional, um clima negativo também impacta o lado pessoal dos funcionários, podendo levar a problemas de saúde como burnout, ou de relacionamento com colegas por causa de conflitos.

É importante investir e cuidar do clima dentro da organização, pois ele exerce influência direta nas pessoas, que por sua vez são quem constrói o negócio. Portanto, o clima organizacional também está diretamente ligado a indicadores e processos que podem impactar financeiramente de maneira negativa uma empresa, como por exemplo:

  • Processos de recrutamento e seleção longos e custosos;
  • Baixo valor de marca, o que dificuldade na atração de profissionais qualificados;
  • Turnover voluntário e alta taxa de rotatividade;
  • Lideranças desalinhadas e demora para tomada de decisões estratégicas;
  • Colaboradores desengajados que afetam a qualidade do produto/serviço;
  • Atendimento de baixa qualidade, que impacta na satisfação dos clientes;
  • Competitividade não saudável na equipe comercial, ou pouca motivação para vendas;

Já as vantagens de um bom clima organizacional vão desde a atração e retenção de profissionais mais criativos, produtivos, engajados e felizes, até uma melhora na eficiência operacional, aumento nas vendas e na satisfação dos clientes. Como defende Richard Branson, CEO da Virgin: “Os funcionários vêm em primeiro lugar. Se você cuidar dos seus funcionários, eles cuidarão dos seus clientes.”.

Mas, se o clima é algo tão complexo e subjetivo e, ao mesmo tempo, tão importante e decisivo, o que é possível fazer para mantê-lo positivo? Separamos algumas dicas e formas que podem servir de inspiração para sua organização logo abaixo:

5 iniciativas que melhoram o clima organizacional

#1 Investir em comunicação para aumentar confiança e transparência
Empresas que reconhecem a importância de uma comunicação interna efetiva e investem em melhorar o diálogo interno tem um clima melhor, colaboradores mais alinhados e engajados.

Uma forma de melhorar a comunicação é torná-la mais participativa (o que não significa desorganizada). Dar espaço para que os colaboradores sejam ouvidos e favorecer ferramentas que incentivam mais colaboração, como uma rede social corporativa, por exemplo, podem ser boas alternativas para começar.

#2 Valorizar e reconhecer os colaboradores
O reconhecimento e a valorização de um bom trabalho impulsionam a motivação dos colaboradores. Saber comemorar as pequenas e grandes conquistas, individuais e do time, faz com que as pessoas sintam-se mais unidas. Isso melhora o clima e transforma adversidades em desafios na busca de resultados ainda melhores.

A valorização pode ser incentivada partindo dos líderes para os liderados, mas também pode existir na manifestação de apreço entre colegas, ou da organização como um todo em campanhas de comunicação e endomarketing.

#3 Compartilhar conhecimento
Criar oportunidades e incentivar seus colaboradores a estarem sempre compartilhando conhecimento e se aperfeiçoando cria um clima positivo.

Espaços destinados à discussão, grupos focais e multidisciplinares, atividades e cursos de curta duração, fóruns e outros momentos dedicados a falar não só sobre atividades de trabalho, mas de novas técnicas, tendências e novidades, mostram aos colaboradores que a empresa não só demanda um nível de excelência, mas também cria oportunidades para que cada um possa crescer em sua carreira dentro da instituição.

#4 Incentivar bons hábitos
Colaboradores passam boa parte do dia na empresa dedicando além do seu tempo, energia e concentração às tarefas. Nesse sentido, incentivar hábitos saudáveis, como uma boa alimentação, prática de atividade física, meditação e cuidado com a saúde mental, ou até mesmo flexibilização de horários e home-office podem melhorar a qualidade de vida das pessoas e, consequentemente também o clima da empresa.

A Khomp, empresa de software e hardware catarinense, por exemplo investiu em bicicletas compartilhadas entre seus colaboradores, que podem utilizá-las sem custo, além de fomentar a saúde na sua cultura organizacional por meio de campanhas de comunicação. Para saber mais sobre o sucesso da Khomp, leia o case aqui →

#5 Cuidar do local de trabalho
O ambiente em que os colaboradores passam a maior parte do seu tempo influencia, além da saúde, no humor, na produtividade e no clima da empresa.

Por isso, dar atenção ao escritório na parte que trata do coletivo – estrutura, espaços, mobília, luminosidade, decoração – como também incentivar os colaboradores a manterem seus espaços individuais bem cuidados ajuda a tornar o ambiente mais positivo.

Além disso, também conscientizar sobre o cuidado com ruídos e volume das conversas (principalmente em escritórios “open-office”, ou de plano aberto), também é importante, para criar uma harmonia no ambiente onde todos consigam se concentrar e sentirem-se respeitados.

E aí, como vai o clima organizacional da sua organização? Você tem mais alguma dica para melhorá-lo? Compartilhe nos comentários!

gestão-de-mudanças

 

Cassiane Vilvert

Author Cassiane Vilvert

Jornalista e parte do time de Marketing e Comunicação da SocialBase, que desenvolve soluções para a comunicação interna das empresas. Para saber mais clique aqui.

More posts by Cassiane Vilvert

Leave a Reply