As empresas começaram a entender que a vida pessoal, a saúde e o bem-estar do profissional influenciam em sua rotina de trabalho. Um colaborador doente falta ao trabalho ou, quando comparece, não é capaz de se dedicar às suas tarefas diárias. Por esses e outros motivos, o investimento em programas de saúde é cada vez mais comum.

Depois de criar um programa adequado ao perfil dos profissionais da empresa, é preciso engaja-los. E é aí que está o desafio. No início, todos parecem interessados, mas diversos fatores podem tirar o profissional dos programas de saúde. Neste artigo, vamos te mostrar como isso pode ser feito dentro da sua empresa. Acompanhe!

Quem são os colaboradores que participam dos programas de saúde?

O Illinois Workplace Wellness Study é um estudo desenvolvido por professores da Universidade de Illinois em Urbana-Champaign, em Illinois nos Estados Unidos. Com base em informações de um programa criado para os funcionários da universidade, foi constatado que os programas de saúde só atingem aqueles que estão predispostos a ter práticas mais saudáveis em suas rotinas.

Esses profissionais já apresentaram interesse em ter uma rotina mais saudável ou já haviam buscado alternativas de cuidado com a saúde. Em um artigo, publicado no National Bureau of Economic Research, um dos autores do estudo afirma que o benefício de ter um programa de saúde é atrair e reter profissionais que já têm gastos baixos de saúde.

Conseguir engajar, talvez, seja o maior desafio enfrentado pelas empresas que profissionalizam seus programas de saúde e bem-estar. A iniciativa exige que o profissional mude a sua rotina e se comprometa com uma série de atividades.

Ninguém quer começar uma atividade em grupo e depois abandoná-la por falta de interesse ou preguiça; por esse motivo, muitos não chegam nem a começar. Há casos em que o profissional fica postergando seu ingresso usando uma série de justificativas, como família, faculdade, cansaço etc.

Diante desse cenário, o que a empresa pode fazer para engajar os colaboradores em seus programas de saúde? Veja a seguir algumas práticas que podem ser aplicadas.

4 formas de engajar os colaboradores em programas de saúde

1. Oriente os colaboradores sobre os benefícios do programa

É bem provável que a sua equipe já tenha feito isso, porém, é importante criar uma rotina para que os colaboradores possam se acostumar com o programa. O que isso quer dizer na prática? Algumas empresas criam seus programas e informam aos colaboradores. Depois ficam esperando os interessados aparecerem.

A empresa deve ser mais ativa nesse sentido. Crie uma programação com palestras, conte com o apoio de especialistas, apresente dados etc. Quanto mais informações sobre os benefícios do programa o colaborador receber, mais interessado ficará.

2. Coloque especialistas à disposição dos colaboradores

Os colaboradores podem se deparar com uma série de dúvidas que não querem expor. Por isso, é importante ter, ao menos, um especialista para orientá-lo, tirar suas dúvidas e conversar abertamente.

Alguns profissionais podem não se sentir a vontade de expor sua condição física ou de saúde diante dos colegas. Ter esse espaço de conexão com um profissional pode ser decisivo para os colaboradores.

3. Envolva outros colaboradores

O incentivo dos colegas é fundamental para motivar os funcionários a aderirem aos programas de saúde. Os colegas se apoiam, se engajam, trocam experiências, dúvidas e expõem seus medos e fraquezas. Além do apoio, os colaboradores podem combinar de praticar alguma atividade física em conjunto, seguir uma dieta e até conversar para aliviar a tensão e o estresse.

4. Conte com o apoio de plataformas especializadas

Algumas empresas criam e desenvolvem seus programas internos quase que à mão. Todo o processo é feito sem o auxílio de nenhuma ferramenta de acompanhamento e controle, o que torna todo trabalho mais difícil e complexo. Além disso, mensurar os resultados acaba se tornando uma atividade quase que impraticável.


A GoGood é uma plataforma que permite que a empresa monitore as atividades e os avanços dos colaboradores. Os profissionais também terão acesso aos seus resultados e informações.

Além disso, é possível integrar o aplicativo da GoGood com outros recursos, como RunKeeper, GoogleFit, Strava, Wearables, Apple HealthKit, que capturam informações importantes sobre a rotina e a saúde do colaborador. Com isso, os dados do profissional são registrados para serem usados de forma mais estratégica e assertiva.

Para empresas que enfrentam dificuldade em engajar os seus colaboradores em programas de saúde, a GoGood conta com uma equipe de profissionais especializados. A GoGood ajuda a companhia por meio de ferramentas específicas para aumentar o engajamento.

Entre os recursos, estão a gamificação que permite a criação de competições saudáveis. Assim, com técnicas orientadas a jogos, os profissionais são estimulados a participarem dos desafios. As equipes que apresentarem os melhores resultados podem ser recompensadas. Confira todos os recursos que a GoGood desenvolveu para ajudar a sua companhia.


Bruno Rodrigues

Author Bruno Rodrigues

CEO e co-fundador da GoGood. Bruno Rodrigues é empreendedor e especialista em inovação pela Universidade de Stanford, co-fundador da GoGood e apaixonado por tecnologia em saúde e por negócios com impacto social. Antes de sua carreira como executivo, foi atleta profissional de karatê e campeão Sulamericano.

More posts by Bruno Rodrigues

Leave a Reply